Segundo Prêmio Germinar de Educação Ambiental da Gerdau divulga vencedores

Press release

O Germinar, programa de educação ambiental da Gerdau, divulga hoje, 27 de novembro, os vencedores do 2º Prêmio Germinar de Educação Ambiental. A cerimônia ocorrerá às 19 horas no auditório do Sindicato dos Metalúrgicos, em Ouro Branco. Realizada em parceria com o Instituto Gerdau, responsável pelas políticas e diretrizes de responsabilidade social da Empresa, a premiação foi criada em 2011 para estimular as escolas no desenvolvimento de ações que possam fazer diferença na relação entre as pessoas e o meio ambiente.
 
Na edição deste ano, foram inscritos 40 projetos, divididos em cinco categorias: Sementinha, para educação infantil; Raiz, para ensino fundamental do 1º ao 5º ano; Folha, para ensino fundamental do 6º ao 9º ano; Fruto, para ensino médio, e a novidade, Categoria Flor, para escolas de ensino especial. Os vencedores receberão, cada um, R$ 8 mil para viabilizar a implantação do projeto em 2013. Além do apoio financeiro para a implementação dos projetos, o programa Germinar também oferece capacitação aos educadores e funcionários das instituições vencedoras.
 
Resultados da primeira edição
Exatamente um ano após a primeira edição, os projetos premiados em 2011 já dão frutos. Os vencedores das quatro categorias vigentes em 2011 foram o projeto Jardim de Atração, da Escola Municipal Dom Luciano (categoria Sementinha), o projeto Observadores de Nuvens, do Sesi Unidade Prof. João Franzen de Lima (categoria Raiz), o projeto Educação Ambiental Inclusiva, do Colégio Batista Mineiro (categoria Folha) e o projeto Horticultura Orgânica Hidrossustentável, da Escola Estadual Cônego Luís Vieira Da Silva (categoria Fruto).
 
O projeto Jardim de Atração, da Escola Municipal Dom Luciano foi totalmente incorporado pelos alunos, professores e funcionários da escola, que funciona a pouco mais de um ano. O objetivo do projeto era criar um jardim formado por flores capazes de atrair borboletas, além de plantas que servissem de alimento para lagartas e outros seres. Com isso, os alunos terão a oportunidade de realizar trabalhos de pesquisa e observação, fazendo seus registros sobre os recursos naturais, os seres vivos e sua relação com o ambiente. Segundo Mariza Evaristo da Silva Fernandes, diretora da Escola Municipal Dom Luciano,  o apoio do projeto Germinar foi fundamental para a realização do Jardim de Atração, cuja ideia partiu de uma das professoras da instituição. “O Germinar foi essencial e o pontapé para a concretização desse projeto, principalmente pelo apoio financeiro. Estamos ansiosos para inaugurar, já que o projeto foi bem aceito pela escola, pela comunidade e pelos pais, que se envolveram no projeto e além do apoio da prefeitura de Ouro Branco, que contribuiu com a mão de obra”, avalia.
 
Já o projeto Observadores de Nuvens, do Sesi Unidade Professor João Franzen de Lima, contou com a instalação de uma miniestação metereológica, onde os alunos aprendem a monitorar periodicamente as variáveis climáticas. Os dados coletados pela rede de observadores de nuvens do Sesi são analisados e utilizados em atividades interdisciplinares, que despertam o interesse cientifico nos alunos. A professora e idealizadora do projeto, Ana Andrade de Souza, afirma que a ideia surgiu com o intuito de elaborar um projeto ambiental inovador. “Com a observação das nuvens, as crianças passaram a observar o ambiente e coletar dados, descobrindo a temperatura, umidade e velocidade do vento. As aulas passaram a ser mais interessantes, despertando ainda mais criatividade dos alunos”, destaca.

A aluna do 5º ano, Eutália Furtado, de 11 anos, diz que com o projeto, passou a observar as nuvens de forma diferente. “Percebo que as nuvens podem indicar muita coisa, até se o ar está poluído. Sinto muito orgulho de saber que minha escola possui esse aparelho, e que o conseguiu depois de muito esforço”.
 
No projeto Educação Ambiental Inclusiva, do Colégio Batista Mineiro, foi construído um jardim sensorial formado por trilhas com piso diferenciado em cada trecho, plantas com cores, aromas e sabores diferentes e fontes de água. Para Tiago Guimarães, deficiente visual e aluno da 1ª série do Ensino Médio, a experiência é única e motivadora. "A sensação é muito boa. Recebo vários estímulos, principalmente por poder pegar e sentir o odor das plantas. O projeto é muito bom para todos os alunos, que poderão trabalhar os sentidos. Sinto-me privilegiado, pois é sempre bom contar com esse tipo de estrutura, mas desejo que as outras escolas públicas e particulares também possam ter esse espaço para os alunos."
O projeto Horticultura Orgânica Hid
rossustentável, da Escola Estadual Cônego Luís Vieira Da Silva, busca estimular os alunos do ensino médio a participarem do plantio e do cultivo de hortaliças na escola. Além dos alimentos produzidos  serem usados como complemento na merenda escolar, a horta  serve também como laboratório para as aulas práticas. A base de sustentação será o recolhimento e armazenamento da água que cai sobre o telhado da escola para posterior utilização na horta orgânica.

Para Ana Paula Aparecida de Souza, professora de Geografia do ensino médio e fundamental, “a horta é importante para enriquecer as atividades escolares por ser uma ferramenta de educação ambiental. Dificilmente nas escolas os alunos possuem essa oportunidade de vivenciar na prática atividades antes teóricas." Já a aluna da 1ª série do Ensino Médio, Caroline Barbosa de Andrade, diz gostar muito das aulas práticas. “Aprendemos como foi o passo a passo do plantio e o cuidado que a escola tem. Prefiro as aulas práticas, pois dá mais vontade de estudar. A merenda é confiável, principalmente por vir  da horta da escola.”
 
Sobre o Germinar
O Germinar é uma iniciativa voltada para a prática da educação e conservação ambiental em prol do desenvolvimento sustentável. Desde o ano de lançamento do programa, em 1990, mais de 200 mil pessoas foram beneficiadas. Além dos cursos para professores, o projeto oferece ainda oportunidade de visitas técnicas, eventos, palestras, oficinas e projetos socioambientais nas escolas.
 
O projeto dispõe de um centro de educação ambiental com 48 hectares de áreas preservadas e estrutura adequada para atendimento aos visitantes. Conta ainda com a Praça dos Biomas, na qual os visitantes podem conhecer de perto a representação de alguns dos mais importantes ecossistemas brasileiros: Cerrado, Campos Rupestres, Mata Atlântica, Restinga, Caatinga e Campos de Altitude. O Biocentro também trabalha os temas ligados a meio ambiente e desenvolvimento sustentável com os colaboradores da Gerdau por meio de ações que motivam a atuação responsável em todos os ambientes, como oficinas, reuniões e treinamentos no Sistema de Gestão Ambiental.
Sobre a Gerdau

A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços longos especiais do mundo. Com mais de 45 mil colaboradores, possui operações industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia –, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas por ano. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. Com mais de 140 mil acionistas, a Gerdau está listada nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.
 
 
« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail