Receita líquida da Gerdau cresce para R$ 9 bilhões com maior demanda mundial por aço

Press Release

 
- Vendas físicas consolidadas crescem 10% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo 4,8 milhões de toneladas.
 
- Produção consolidada de aço chega a 5 milhões de toneladas, um crescimento de 14% frente ao terceiro trimestre de 2010.
 
O aumento de 10% nas vendas físicas da Gerdau durante o terceiro trimestre deste ano, reflexo da maior demanda mundial por aço, resultou na expansão da sua receita líquida consolidada para R$ 9 bilhões, um crescimento de 9% perante o mesmo período do ano anterior. Já a produção consolidada de aço atingiu 5 milhões de toneladas, um acréscimo de 14% frente ao terceiro trimestre de 2010.
 
Apesar do aumento da receita líquida, a geração de caixa operacional (EBITDA) consolidada apresentou redução de 4% em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 1,2 bilhão, devido à elevação dos custos com matérias-primas. O lucro líquido, por sua vez, cresceu 17%, chegando a R$ 713 milhões, em razão de menores despesas financeiras, efeitos cambiais e benefícios fiscais decorrentes do pagamento de juros sobre capital próprio deliberado no terceiro trimestre de 2011.
 
“Mesmo frente à grande volatilidade dos mercados financeiros, a Gerdau apresentou um bom desempenho no terceiro trimestre, reflexo da crescente demanda por aço nos países em que atuamos e da boa gestão de nossas equipes, a qual permitiu crescimento do caixa e redução da dívida líquida e das despesas gerais, administrativas e financeiras. As perspectivas para o mercado global do aço mostram crescimento da demanda, mas continuamos cautelosos em relação às incertezas do cenário econômico mundial. Nesse sentido, seguiremos buscando o contínuo aprimoramento das nossas operações principalmente concentrando esforços para a redução do impacto dos custos das matérias-primas em nossos negócios”, afirma o diretor-presidente (CEO) da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter.
 
No acumulado do ano (janeiro a setembro), a receita líquida consolidada alcançou R$ 26,3 bilhões, um acréscimo de 12% em relação aos nove primeiros meses de 2010. As vendas físicas consolidadas chegaram a 14,5 milhões de toneladas, também apresentando evolução de 12%. No mesmo período, a produção consolidada de aço foi 11% superior, atingindo 14,9 milhões de toneladas. O EBITDA, por sua vez, foi de R$ 3,6 bilhões e o lucro líquido atingiu R$ 1,6 bilhão.
 
Ao longo do trimestre, todas as operações da Gerdau registraram aumento das vendas físicas. No Brasil (exceto usinas produtoras de aços especiais), foi comercializado 1,8 milhão de toneladas de aço, volume 9% superior em relação ao mesmo período de 2010, devido ao aumento da demanda no mercado interno. Desse total, 1,4 milhão de toneladas de aço Gerdau foi comercializado no mercado brasileiro, um acréscimo de 13% perante o mesmo período do ano anterior, e as exportações a partir do País alcançaram 417 mil toneladas, uma redução de 2%.
 
Os demais países da América Latina (exceto Brasil) somaram 711 mil toneladas de aço comercializadas, 26% a mais frente ao mesmo período do ano anterior, com destaque para os mercados da Colômbia, do México e da Argentina. Nas unidades do Canadá e dos Estados Unidos (excluindo usinas produtoras de aços especiais), houve um aumento de 8% nas vendas físicas em razão da maior demanda da indústria e do setor de energia, atingindo 1,6 milhão de toneladas.
 
As vendas realizadas pela Operação de Negócio de Aços Especiais (incluindo usinas no Brasil, Estados Unidos e Espanha) apresentou 2% de incremento, totalizando 725 mil toneladas, devido à estabilidade do setor automotivo nos Estados Unidos e no Brasil, em razão dos elevados patamares de vendas já alcançados, e da recuperação desse segmento nos mercados atendidos pela Gerdau na Espanha, principalmente Alemanha e França.
 
Gerdau investe R$ 616 milhões no terceiro trimestre
 
No terceiro trimestre, os investimentos em ativo imobilizado (CAPEX) totalizaram R$ 616 milhões, seguindo o cronograma planejado de desembolsos. Desse total, 79% foram destinados para unidades no Brasil e 21% para operações nos demais países. Em relação aos investimentos no Brasil, destacamos os projetos para instalação de laminadores de aços planos e para ampliação da produção própria de minério de ferro, ambos na Gerdau Açominas (MG), e para o aumento da capacidade de laminados da usina de aços longos Cosigua (RJ) e da usina de aços especiais Pindamonhangaba (SP). Durante os nove primeiros meses do ano, considerando os países em que opera, a Gerdau investiu R$ 1,3 bilhão em ativo imobilizado.
 
Em relação ao plano de monetização de parte dos seus recursos minerais, localizados em Minas Gerais, a Gerdau informa que os estudos seguem em pleno andamento, conforme anteriormente anunciado.
 
Pagamento de dividendos ocorrerá no dia 30 de novembro
No dia 30 de novembro, as empresas de capital aberto Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. pagarão dividendos relativos aos resultados do terceiro trimestre do ano. Os acionistas da Gerdau S.A. receberão R$ 204,6 milhões (R$ 0,12 por ação) e os acionistas da Metalúrgica Gerdau S.A., R$ 77,2 milhões (R$ 0,19 por ação).
 
Sobre a Gerdau
A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços longos especiais do mundo. Com 45 mil colaboradores, possui operações industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia –, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas por ano. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço. Com cerca de 140 mil acionistas, a Gerdau está listada nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.
X
 
Porto Alegre, 10 de novembro de 2011.
Assessoria de imprensa – 51 3323-2170
imprensa@gerdau.com.br
www.gerdau.com
 
 
« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail