Receita líquida da Gerdau atinge R$ 8,7 bilhões no terceiro trimestre de 2016

- EBITDA ajustado alcança R$ 1,2 bilhão no terceiro trimestre e, no acumulado do ano, chega a R$ 3,3 bilhões.

- Despesas com vendas, gerais e administrativas são reduzidas em 23% no terceiro trimestre e, nos nove primeiros meses do ano, diminui em R$ 222 milhões como resultado do esforço de gestão da Empresa.

- Fluxo de caixa livre, uma das prioridades da gestão financeira da Empresa, foi de R$ 1 bilhão nos nove primeiros meses de 2016.


A Gerdau encerrou o terceiro trimestre de 2016 com receita líquida de R$ 8,7 bilhões, uma redução de 27% em relação ao mesmo período do ano anterior, decorrente dos menores volumes vendidos em todas as operações de negócio. As vendas físicas consolidadas, por sua vez, apresentaram queda de 21% frente ao terceiro trimestre do ano anterior, totalizando 3,7 milhões de toneladas, enquanto a produção de aço foi de 3,9 milhões de toneladas, volume 7% inferior em relação ao terceiro trimestre de 2015.

A geração de caixa operacional (EBITDA) consolidada ajustada, que inclui o EBITDA proporcional das empresas associadas e com controle compartilhado, chegou a R$ 1,2 bilhão, apresentando uma redução de 7% em relação ao mesmo período do ano passado. Esse desempenho é reflexo do menor desempenho da Operação América do Norte, parcialmente compensado pela melhor performance das demais operações. Na comparação com o segundo trimestre de 2016, o EBITDA apresentou estabilidade, especialmente pelo melhor desempenho da Operação Brasil (não inclui usinas produtoras de aços especiais).

No terceiro trimestre, o lucro líquido consolidado ajustado foi de R$ 95 milhões, uma redução de 51% em relação ao mesmo período do ano passado, em razão da menor geração de EBITDA no período. Nos nove primeiros meses do ano, o lucro líquido alcançou R$ 293 milhões. As despesas com vendas, gerais e administrativas (DVGA) foram reduzidas em 23% no terceiro trimestre e, nos nove primeiros meses do ano, diminuiu em R$ 222 milhões.

"Conseguimos, neste trimestre, reduzir o impacto do difícil momento da indústria do aço no mundo e no Brasil a partir de nossos esforços de gestão, presentes em todas as operações. Com isso, foi possível reduzir despesas, aumentar nossas margens, ter uma geração importante de fluxo de caixa livre e, ao mesmo tempo, manter estável o endividamento líquido da Empresa. Em relação ao Brasil, apesar da melhora nas margens, antevemos para os próximos meses um cenário desafiador de mercado, com recuperação gradual e lenta do nível de atividade econômica e menor volume de exportações. Esse cenário de desafio também se aplica para nossas demais operações nas Américas. Por outro lado, seguiremos atuando fortemente em prol da geração de valor da Empresa, por meio de diversas frentes de trabalho, que passam pela modernização de nossa cultura empresarial, redução de custos e despesas, expressiva geração de fluxo de caixa livre, restrição de CAPEX, continuidade da reavaliação do potencial de ativos e implantação de iniciativas de inovação digital, entre outros", afirma o diretor-presidente (CEO) da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter.

Na área de inovação digital, a Gerdau recentemente fechou uma parceria inédita com a GE Digital. A Empresa está sendo a primeira na indústria de aço mundial a implantar um Sistema de Monitoramento e Diagnóstico Online, que utiliza avançadas ferramentas de análise de dados para antecipar possíveis falhas nos equipamentos e realizar manutenção preventiva.  "A implantação de iniciativas diferenciadas, como o projeto com a GE Digital, já é resultado da evolução digital que estamos vivendo. Esse projeto está gerando ganhos importantes para as nossas usinas no Brasil, como aumento da eficiência industrial e redução de custos", afirma André Gerdau B. Johannpeter.

Estão sendo instalados 30 mil sensores em mil equipamentos de 11 plantas no Brasil, que permitem o monitoramento do desempenho dos equipamentos em tempo real. A central de monitoramento instalada na usina Ouro Branco (MG) irá acompanhar inicialmente o desempenho das usinas da Operação Brasil, mas a intenção é ampliar o uso desse sistema para as usinas de aços especiais e mineração no Brasil.

Ao longo do trimestre, os mercados atendidos pela Gerdau apresentaram redução de vendas. No Brasil, as vendas para o mercado interno (não inclui as unidades produtoras de aços especiais) totalizaram 928 mil toneladas no terceiro trimestre e continuaram sendo impactadas pelo menor nível de atividade da construção civil e da indústria, caindo 18% em relação ao mesmo período do ano anterior. Nos nove primeiros meses do ano, as vendas para o mercado interno atingiram 2,8 milhões de toneladas. As exportações alcançaram 554 mil toneladas de aço no terceiro trimestre e apresentaram queda (-32%) na comparação com o mesmo período de 2015, em razão do volume recorde alcançado no ano anterior. No entanto, nos nove primeiros meses do ano, as exportações apresentam uma evolução de 7% em relação a janeiro a setembro de 2015, totalizando 1,7 milhão de toneladas e contribuindo para compensar o menor desempenho do mercado interno.

As operações no Canadá, nos Estados Unidos e no México (não inclui usinas de aços especiais) comercializaram 1,4 milhão de toneladas no terceiro trimestre de 2016, apresentando uma queda de 18% frente ao mesmo período do ano passado, o que se deve à forte entrada de produtos importados na região, à menor atividade industrial e ao momento de cautela quanto à definição das eleições presidenciais nos Estados Unidos. Já as unidades da América do Sul (não inclui Brasil) contabilizaram 516 mil toneladas vendidas, patamar 11% menor frente ao terceiro trimestre de 2015. As vendas realizadas pela Operação de Negócio Aços Especiais (inclui usinas no Brasil, nos Estados Unidos e na Índia), por sua vez, totalizaram 437 mil toneladas, uma queda de 29% frente ao mesmo período do ano passado, especialmente pela alienação das unidades na Espanha.

 

Investimentos da Gerdau alcançam R$ 286 milhões no terceiro trimestre

No terceiro trimestre, foram investidos R$ 286 milhões em ativo imobilizado (CAPEX). O maior desembolso ocorreu na Operação Brasil (50% do CAPEX) para finalização dos investimentos no laminador de chapas grossas na usina Ouro Branco (MG).

Conforme anunciado anteriormente, a Gerdau deverá fechar o exercício de 2016 com um desembolso de CAPEX em torno de R$ 1,5 bilhão, 35% abaixo do realizado em 2015. Para 2017, a previsão de desembolso de CAPEX é de R$ 1,4 bilhão, com foco em melhoria de produtividade e manutenção.

 

Pagamento de dividendos da Gerdau S.A. será realizado em 1º de dezembro

No dia 1º de dezembro, a Gerdau S.A., com base nos resultados obtidos no terceiro trimestre, pagará́ dividendos em antecipação ao mínimo obrigatório estipulado no Estatuto Social. Serão destinados R$ 34,2 milhões para os acionistas da Gerdau S.A. (R$ 0,02 por ação). Nos primeiros nove meses de 2016, a Gerdau S.A. destinou R$ 85,7 milhões (R$ 0,05 por ação) para pagamento de dividendos.

 

Sobre a Gerdau

A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que ampliam o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri. ​

« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail