Receita líquida da Gerdau alcança R$ 9,2 bilhões no primeiro trimestre de 2013

Press release

- Receita líquida consolidada chega a R$ 9,2 bilhões no primeiro trimestre, em linha com o mesmo período de 2012.
 
- Vendas físicas consolidadas atingem 4,6 milhões de toneladas nos três primeiros meses do ano e a produção de aço alcança 4,4 milhões de toneladas.
 
- Principal destaque no primeiro trimestre foi o mercado interno brasileiro de aços longos, cujas vendas físicas cresceram 12% perante o mesmo período do ano anterior e a receita líquida, 14%.

 
A Gerdau encerrou o primeiro trimestre com receita líquida consolidada de R$ 9,2 bilhões, em linha com o mesmo período do ano anterior, principalmente pelo crescimento de vendas de aços longos no mercado interno brasileiro. Entretanto, o desempenho da Companhia foi impactado pela menor demanda na Europa e na América do Norte, assim como pela crescente importação de aço na América Latina e nos Estados Unidos. Somaram-se a esse contexto situações pontuais em distintas regiões, destacadamente a posta em marcha da operação na Índia e a implantação de software de gestão na América do Norte. No mundo, as vendas físicas consolidadas da Gerdau somaram 4,6 milhões de toneladas, uma redução de 4% frente aos primeiros três meses de 2012, enquanto que a produção consolidada de aço foi de 4,4 milhões de toneladas, volume 11% menor.
 
A geração de caixa operacional consolidada (EBITDA) atingiu R$ 805 milhões, um decréscimo de 20% na comparação com o primeiro trimestre de 2012, decorrente principalmente do menor volume comercializado no período. Já o lucro líquido foi de R$ 160 milhões.
 
Na comparação com o quarto trimestre de 2012, o desempenho da Gerdau demonstra uma tendência de recuperação. As vendas físicas consolidadas, por exemplo, cresceram 6% e a receita líquida apresentou 2% de expansão, enquanto que o lucro líquido teve 12% de acréscimo.
 
“Apesar do excesso de capacidade instalada de aço no mundo, os mercados já apontam melhoria gradual nos níveis de demanda, que somada ao nosso esforço de gestão, deverá repercutir favoravelmente em nosso desempenho ao longo dos próximos trimestres. Nosso principal desafio é a melhoria das margens da companhia e, nesse sentido, continuaremos trabalhando fortemente para o aumento da eficiência operacional de nossos negócios, a otimização do capital de giro frente aos níveis de demanda e, considerando a volatilidade dos mercados, manteremos cautela na gestão do cronograma de desembolso dos investimentos (CAPEX). Além disso, estamos realizando investimentos estratégicos que também devem se refletir no aumento das margens, destacadamente a expansão da produção própria de minério de ferro, com novos embarques programados para 2013, a produção de aços planos no Brasil e o início das atividades na Índia”, afirma o diretor-presidente (CEO) da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter.
 
Ao longo do primeiro trimestre, os mercados atendidos pela Gerdau apresentaram comportamentos distintos. No Brasil, as vendas para o mercado interno evoluíram 12%, somando 1,4 milhão de toneladas, enquanto que as exportações a partir do país apresentaram 23% de redução, para 391 mil toneladas. No Canadá e Estados Unidos (não inclui usinas produtoras de aços especiais), foi vendido 1,5 milhão de toneladas, o que representa 13% de decréscimo frente ao mesmo período do ano anterior.
As unidades localizadas nos demais países da América Latina (não inclui Brasil), por sua vez, somaram 646 mil toneladas de aço vendidas, 4% a menos em comparação com o primeiro trimestre de 2012. Já as vendas realizadas pela Operação de Negócios Aços Especiais (inclui usinas produtoras no Brasil, Estados Unidos, Espanha e Índia) foram 667 mil toneladas, uma redução de 4% em comparação com o mesmo período do ano anterior.
 
Investimentos da Gerdau alcançam R$ 571 milhões no primeiro trimestre
 
No primeiro trimestre, os investimentos em ativo imobilizado (CAPEX) chegaram a R$ 571 milhões devido à realização de investimentos já anunciados, principalmente o aumento da capacidade de produção de minério de ferro e a instalação do laminador de bobinas a quente na usina Ouro Branco (MG).
Conforme anunciado anteriormente, para o período de 2013-2017, estão programados R$ 8,5 bilhões em investimentos nas plantas industriais da Companhia, considerando as atividades de aço e mineração.
 
Gerdau realiza captação financeira internacional com menor custo de sua história
 
Em abril, a Gerdau realizou a emissão de um título de dívida (bond) de 10 anos no valor de US$ 750 milhões, com o objetivo de alongar o prazo médio de seu endividamento. Com juros de 4,75% ao ano, o financiamento teve o menor custo da história da Companhia em captações internacionais, um reconhecimento à gestão da Gerdau por parte do mercado financeiro. A distribuição geográfica da oferta foi de 49% para os Estados Unidos, 35% para a Europa, 15% para América Latina e 1% para Ásia.
Pagamento de dividendos será realizado no dia 29 de maio
Com base nos resultados obtidos no primeiro trimestre, as empresas de capital aberto Metalúrgica Gerdau S.A. e Gerdau S.A. pagarão dividendos no dia 29 de maio. Serão pagos R$ 8 milhões para os acionistas da Metalúrgica Gerdau S.A. (R$ 0,02 por ação) e R$ 34 milhões para os detentores dos papéis da Gerdau S.A. (R$ 0,02 por ação).
 
Sobre a Gerdau
A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços longos especiais do mundo. Com mais de 45 mil colaboradores, possui operações industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia –, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas por ano. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. Com mais de 130 mil acionistas, a Gerdau está listada nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.
 
 
« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail