Menor demanda por aço reduz desempenho da Gerdau no 3º trimestre

Press release

- Receita líquida atinge R$ 10,7 bilhões e apresenta 2% de evolução na comparação com o terceiro trimestre de 2013
- Recuperação da demanda nos Estados Unidos é destaque no trimestre, onde a Gerdau apresenta expansão das vendas físicas e melhor desempenho operacional.
- Ritmo de investimentos em ativo imobilizado (CAPEX) para 2014 é revisado para R$ 2,1 bilhões, considerando o atual cenário mundial do aço.

A Gerdau encerrou o terceiro trimestre de 2014 com vendas físicas de 4,6 milhões de toneladas de aço, 4,5% inferior frente ao mesmo período do ano anterior. Isso se deveu principalmente pela menor demanda por aço no Brasil e nos demais países da América Latina, somada à crescente entrada de aço importado na região. A receita líquida evoluiu 2%, alcançando R$ 10,7 bilhões principalmente em razão do seu melhor desempenho na América do Norte no período. A produção de aço, por sua vez, manteve-se constante em 4,5 milhões de toneladas.

No terceiro trimestre, a geração de caixa operacional (EBITDA) foi de R$ 1,2 bilhão, apresentando 13% de redução em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro líquido passou de R$ 642 milhões para R$ 262 milhões, impactado pelo resultado financeiro e pela adesão ao Programa de Recuperação Fiscal - Refis sobre lucros gerados no exterior no valor líquido de R$ 87 milhões.

“Em um trimestre em que enfrentamos menor demanda por aço no Brasil e nos demais países na América Latina, o principal destaque positivo do período foi nosso bom desempenho nos Estados Unidos. Também gostaria de destacar que estamos trabalhando fortemente para ajustar nossas operações aos movimentos do mercado mundial do aço, que segue sendo impactado pelo excesso de capacidade instalada mundial e pela pressão de margens. Esse cenário desafiador do mercado global tem nos motivado a buscar a melhoria de nossa eficiência e a redução de custos operacionais, assim como adequar o ritmo de investimentos em ativo imobilizado (CAPEX). Com isso, deveremos fechar o ano de 2014 com investimentos de R$ 2,1 bilhões, volume inferior à média dos últimos três anos”, afirma o diretor-presidente (CEO) da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter.

Nos nove primeiros meses de 2014, as vendas físicas consolidadas somaram 13,5 milhões de toneladas (-3,5%) e a receita líquida cresceu 7%, para R$ 31,7 bilhões. O EBITDA também apresentou evolução, de 5%, alcançando R$ 3,6 bilhões, enquanto que o lucro líquido foi de R$ 1,1 bilhão, 9% a menos frente ao período de janeiro a setembro de 2013.

Ao longo do terceiro trimestre, as vendas para o mercado interno brasileiro (não inclui as unidades produtoras de aços especiais) foram de 1,4 milhão de toneladas, o que representa 11% de redução perante o mesmo período do ano anterior. As exportações a partir do País, de 291 mil toneladas, apresentaram 21% de decréscimo. Nos Estados Unidos e Canadá, foi comercializado 1,6 milhão de toneladas, 2,5% a mais em relação ao terceiro trimestre de 2013, especialmente pela evolução da indústria e da construção não residencial.

Nos demais países da América Latina (não inclui Brasil), houve 10% de redução no volume de vendas, para 647 mil toneladas, devido ao aumento das importações na região e ao menor ritmo de crescimento econômico. Já a Operação de Negócio Aços Especiais (inclui unidades no Brasil, na Espanha, nos Estados Unidos e na Índia), manteve os mesmos patamares de comercialização do mesmo período do ano anterior, de 710 mil toneladas.

As vendas de minério de ferro, por sua vez, atingiram 2 milhões de toneladas, 85% de expansão frente ao mesmo período do ano anterior. Desse total, 1,3 milhão de toneladas foi destinado para as usinas da Gerdau e 692 mil toneladas para o mercado.

Investimentos da Gerdau alcançam R$ 438 milhões no 3º trimestre

No terceiro trimestre, os investimentos em ativo imobilizado (CAPEX) alcançaram R$ 438 milhões e, no acumulado do ano, R$ 1,6 bilhão. No Brasil, o principal destaque foi a entrada em operação, no mês de outubro, da linha de acabamento de bobinas a quente na usina de Ouro Branco (MG), permitindo ampliar a participação em segmentos que a Gerdau já atua e ingressar em mercados que ainda não eram atendidos, como de autopeças, de compressores, de embalagens e de recipientes.

Nos Estados Unidos, entrou em operação em agosto o novo lingotamento contínuo da usina de Saint Paul (Minnesota), aumentando a capacidade instalada anual da planta de 520 mil toneladas para 620 mil toneladas de aço. No segmento de aços especiais, está previsto para o primeiro trimestre de 2015 o início da operação de um novo forno de reaquecimento na laminação da usina de Monroe (Michigan). Ambos os investimentos ampliarão a qualidade dos produtos e a produtividade dessas unidades.

No México, a primeira fase da nova usina, iniciativa que está sendo realizada por meio da joint venture Gerdau Corsa, entrará em operação no final de 2014, com o início da produção da aciaria, cuja capacidade instalada será de 1 milhão de toneladas por ano. A área de laminação, com capacidade instalada anual de 700 mil toneladas de perfis estruturais, começará a produzir em 2015. A nova planta irá atender a construção civil (construção metálica, fundações e contenções) e a indústria (obras industriais e indústria de transformação) no México e nos demais países do NAFTA.

Na área de mineração, o foco tem sido especialmente a produção de minério de ferro para consumo próprio, o que tem ampliado a competitividade da usina de Ouro Branco (MG). Considerando a atual situação do mercado global, o ritmo de execução dos investimentos em mineração está sendo revisado.

Pagamento de dividendos ocorrerá no dia 27 de novembro

O pagamento de dividendos das empresas de capital aberto no Brasil, a Gerdau S.A. e a Metalúrgica Gerdau S.A., relativos ao terceiro trimestre, ocorrerá no dia 27 de novembro. Aos acionistas da Gerdau S.A. serão pagos R$ 85,2 milhões (R$ 0,05 por ação) sob a forma de juros sobre capital próprio. Os detentores dos papéis da Metalúrgica Gerdau S.A. receberão R$ 16,3 milhões em dividendos (R$ 0,04 por ação). Nos nove primeiros meses de 2014, a remuneração dos acionistas da Gerdau S.A. alcançará R$ 306,8 milhões (R$ 0,18 por ação) e da Metalúrgica Gerdau S.A., R$ 89,4 milhões (R$ 0,22 por ação).

Sobre a Gerdau
A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que estão ampliando o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Com mais de 45 mil colaboradores, a Gerdau possui plantas industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia –, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas de aço por ano. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. Com mais de 120 mil acionistas, as ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.

X

Porto Alegre, 5 de novembro de 2014.
Assessoria de imprensa – 51 3323-2170
imprensa@gerdau.com.br
www.gerdau.com

 
 
« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail