Melhora no consumo de aço aumenta receita líquida da Gerdau para R$ 9 bilhões

Press Release

- Vendas físicas consolidadas crescem 12% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo 4,9 milhões de toneladas.
 
- Produção consolidada de aço chega a 5,1 milhões de toneladas, um crescimento de 9% frente ao segundo trimestre de 2010.
 
- Gerdau anuncia investimentos de R$ 183 milhões nas usinas de Pinda e de Mogi, ambas no Estado de São Paulo, para atender a crescente demanda por aços especiais da indústria automobilística brasileira.

 
O desempenho financeiro da Gerdau, no segundo trimestre deste ano, foi influenciado pela maior demanda mundial por aço - que resultou na expansão das vendas físicas e da receita líquida - e pela elevação dos custos com matérias-primas. As vendas físicas consolidadas chegaram a 4,9 milhões de toneladas, uma evolução de 12%, ampliando a receita líquida total da companhia para R$ 9 bilhões, 9% a mais em relação ao segundo trimestre de 2010. A produção consolidada de aço, por sua vez, alcançou 5,1 milhões de toneladas, um acréscimo de 9% sobre o mesmo período do ano anterior.
 
O aumento dos custos das matérias-primas, especialmente do minério de ferro, do carvão mineral e da sucata ferrosa, impactou na geração de caixa operacional (EBITDA), a qual foi de R$ 1,3 bilhão contra R$ 1,7 bilhão no segundo trimestre de 2010, uma redução de 24%. Entretanto, na comparação com o primeiro trimestre de 2011, o EBITDA apresentou 19% de crescimento. O lucro líquido alcançou R$ 503 milhões, 41% a menos do que no mesmo período de 2010. Já na comparação com os três primeiros meses do ano, o lucro líquido teve uma evolução de 23%.
 
No acumulado do ano, a receita líquida consolidada evoluiu para R$ 17,4 bilhões, apresentando 13% de crescimento sobre os primeiros seis meses de 2010. As vendas físicas consolidadas chegaram a 9,6 milhões de toneladas frente ao primeiro semestre de 2010, uma evolução de 14%, enquanto a produção consolidada de aço apresentou 9% de incremento e alcançou 9,9 milhões de toneladas. No mesmo período, o EBITDA foi de R$ 2,4 bilhões e o lucro líquido atingiu R$ 912 milhões.
 
“O resultado da Gerdau foi impactado pelo câmbio desfavorável no Brasil e pelos altos custos de matérias-primas. Seguimos com a estratégia de alcançar a autossuficiência em minério de ferro, bem como ampliar o abastecimento de carvão mineral a partir de nossas operações na Colômbia, as quais possuem uma capacidade para atender cerca de 25% das atuais necessidades da Gerdau no Brasil, e expandir a rede de fornecedores cativos de sucata. Por outro lado, continuamos trabalhando no projeto de monetização de parte de nossos recursos minerais e vamos ampliar a linha de produtos com maior valor agregado, com destaque para o início da produção de aços planos no Brasil em 2012. Além disso, continuamos a manter uma boa estrutura de capital da empresa, reforçada pela operação de aumento de capital de R$ 3,6 bilhões concluída no segundo trimestre. A partir destas iniciativas, buscaremos atingir a máxima eficiência de nossas operações, com melhoria nas margens operacionais, e crescimento sustentável de longo prazo”, afirma o diretor-presidente da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter.
 
Durante o segundo trimestre, todas as operações da Gerdau registraram crescimento dos volumes vendidos. No Brasil (excluindo unidades produtoras de aços especiais), as vendas cresceram 7% em relação ao segundo trimestre de 2010, chegando a 1,8 milhão de toneladas. Desse total, 1,3 milhão de toneladas foi destinado para o mercado interno, volume que manteve-se em linha com o mesmo período do ano anterior. As exportações a partir do País, por sua vez, responderam por 507 mil toneladas, 29% a mais que o período de abril a junho de 2010.
 
Os demais países da América Latina (exceto Brasil) comercializaram 20% a mais frente ao mesmo período do ano anterior, alcançando 644 mil toneladas de aço, com destaque para os mercados da Colômbia, da Argentina e do México. Nas unidades do Canadá e dos Estados Unidos (excluindo unidades produtoras de aços especiais), houve um aumento de 16% nas vendas físicas em razão da maior demanda da indústria e do setor de energia, atingindo 1,7 milhão de toneladas.
 
A Operação de Negócio de Aços Especiais (incluindo unidades no Brasil, Estados Unidos e Espanha), apresentou 8% de incremento, totalizando 787 mil toneladas devido à crescente demanda do setor automotivo dos Estados Unidos e do aumento das exportações a partir da Espanha para outros países da Europa.

Gerdau anuncia investimentos de R$ 183 milhões nas usinas de Pinda e de Mogi (SP)
 
Adicionalmente aos investimentos de R$ 718 milhões anunciados em maio deste ano para usinas localizadas no Estado de São Paulo, a Gerdau investirá mais R$ 183 milhões, até o segundo trimestre de 2012, nas usinas de Pindamonhangaba e de Mogi das Cruzes (SP) para atender a crescente demanda por aços especiais do mercado automotivo brasileiro. Utilizando avançada tecnologia industrial, será instalado, em Pinda, um novo lingotamento contínuo e um novo forno de reaquecimento, os quais trarão ganhos de produtividade e de competitividade à usina.
 
Em Mogi, por sua vez, será ampliada a capacidade de laminação de 216 mil toneladas para 276 mil toneladas por ano. Ao final de ambos investimentos, terão sido gerados 130 empregos diretos permanentes e 570 indiretos na cadeia produtiva. Além disso, no pico das obras, serão criadas cerca de 300 vagas temporárias.  
Ademais, a Gerdau está retomando estudos técnicos para realizar um novo investimento no Chile. Os estudos envolvem o aumento da capacidade instalada anual da usina de Colina, agregando 280 mil toneladas de aço e 425 mil toneladas de laminados. Com isso, a capacidade instalada da Gerdau no Chile poderá atingir 800 mil toneladas de aço e 900 mil toneladas de laminados.
 
Em relação ao plano de monetização de parte dos recursos minerais, localizados em Minas Gerais, a Gerdau informa que já contratou uma empresa para aprofundar os estudos sobre alternativas para a comercialização desses ativos de forma eficiente, contemplando todas as necessidades de um projeto dessa envergadura no que se refere à lavra, ao processamento, à logística de transporte, à armazenagem e à comercialização.
No segundo trimestre, os investimentos em ativo imobilizado (CAPEX) totalizaram R$ 340 milhões, sendo que 71% foram destinados para unidades no Brasil e 29% para operações nos demais países. No acumulado do ano, os desembolsos alcançaram R$ 673 milhões.
 
Pagamento de dividendos ocorrerá no dia 25 de agosto
No dia 25 de agosto, as empresas de capital aberto Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. pagarão dividendos na forma de juros sob capital próprio relativos ao segundo trimestre do ano. Os acionistas da Gerdau S.A. receberão R$ 154 milhões (R$ 0,09 por ação) e os acionistas da Metalúrgica Gerdau S.A., R$ 61 milhões (R$ 0,15 por ação).
 
Sobre a Gerdau
A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços longos especiais. Com 45 mil colaboradores, possui operações industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia –, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas por ano. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço. Com cerca de 140 mil acionistas, a Gerdau está listada nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.
 
X
 
Porto Alegre, 4 de agosto de 2011.
Assessoria de imprensa – 51 3323-2170
imprensa@gerdau.com.br
www.gerdau.com.br
 
 
 
« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail