Gerdau enfrenta redução na demanda com agilidade

Para adaptar-se rapidamente à nova realidade do mercado, a empresa aumenta o caixa e melhora a liquidez, reduzindo custos e capital de giro.

O desempenho da Gerdau, ao longo do primeiro trimestre de 2009, foi fortemente impactado pela redução da demanda mundial por aço. Na comparação com o quarto trimestre de 2008, as vendas físicas consolidadas, de 3,1 milhões de toneladas, apresentaram 12,7% de redução, e a produção de aço foi de 2,5 milhões de toneladas, 22,2% menor. Entretanto, em março, a empresa verificou sinais de melhora dos mercados, ampliando em 20,7% suas vendas físicas em comparação com dezembro de 2008. Como resultado desse cenário, a Gerdau encerrou o trimestre com faturamento de R$ 7,7 bilhões e lucro líquido de R$ 35 milhões.
 
“Conseguimos nos adequar rapidamente à nova realidade do mercado, pela flexibilidade de nossas operações e pelo esforço e qualidade de gestão das nossas equipes, em todos os países em que atuamos. Aumentamos o caixa, que somou R$ 5,8 bilhões no final de março, e melhoramos a liquidez, reduzindo capital de giro. Além disso, o custo total de produção foi reduzido em R$ 1,8 bilhão, o que representa 28% a menos em comparação com trimestre anterior. Esse esforço gerencial deverá influenciar positivamente os custos nos próximos trimestres, que não estarão mais impactados pelos elevados estoques produzidos para atender os crescentes níveis de consumo verificados até outubro de 2008”, afirma o diretor-presidente (CEO) da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter.
 
No Canadá e Estados Unidos (exceto unidades produtoras de aços especiais), a Gerdau Ameristeel apresentou 11,4% de crescimento no volume de produção de aço frente ao quarto trimestre de 2008 e atingiu 1 milhão de toneladas no trimestre. As vendas físicas, no mesmo período, foram de 1,1 milhão de toneladas, apresentando redução de 11,5%. Apesar da redução da demanda verificada no primeiro trimestre, as vendas no mês de março apresentaram crescimento de 10,1% em relação a dezembro de 2008.
 
Na América Latina (exceto Brasil), a produção de aço das unidades Gerdau atingiu 316 mil toneladas nos três primeiros meses do ano, 41,1% a mais sobre o quarto trimestre de 2008. As vendas físicas, de 487 mil toneladas, também apresentaram expansão, de 9,7%.
 
No Brasil (exceto as unidades produtoras de aços especiais), houve redução de 41,3% na produção de aço, que resultou em um volume de 879 mil toneladas ao longo do primeiro trimestre. Essa diminuição se deveu principalmente à antecipação da parada para manutenção do alto-forno 1 da Gerdau Açominas (MG). No período, as vendas para o mercado interno tiveram 26,8% de queda e somaram 721 mil toneladas. No entanto, no mês de março, as vendas físicas para o mercado interno brasileiro evoluíram 12,2% em comparação com dezembro de 2008.
 
Para compensar parcialmente a retração do mercado interno ao longo do primeiro trimestre, a Gerdau ampliou as exportações a partir do país, apesar da baixa rentabilidade obtida nas vendas para o exterior. Alcançou 374,7 mil toneladas embarcadas, um acréscimo de 38,4% em volume. As receitas de exportação chegaram a R$ 397,4 milhões.
 
No segmento de aços especiais (unidades no Brasil, Estados Unidos e Espanha), a produção foi de 300 mil toneladas de aço, apresentando um decréscimo de 50,5%. No mesmo período, as vendas físicas foram 32% menores, de 398 mil toneladas. Porém, no mês de março, as vendas físicas demonstraram 9,6% de expansão perante dezembro de 2008.
 
 
Investimentos foram de US$ 242 milhões no período
 
De janeiro a março, os investimentos em ativo imobilizado somaram US$ 242 milhões, destinados à continuidade de projetos já iniciados em 2008. Deste total, 57,9% foram aplicados no Brasil (excetuando unidades produtoras de aços especiais) e os demais 42,1% nas demais operações.
 
Antecipação de dividendos
 
As empresas Metalúrgica Gerdau S.A. e Gerdau S.A. possuem políticas de distribuição de dividendos claras e alinhadas ao mercado, pagando, no mínimo, 30% do lucro líquido ajustado em cada ano, enquanto a lei vigente no Brasil exige um mínimo de 25%. Em razão do cenário econômico atual e do objetivo de preservar o caixa, não haverá antecipação de dividendos referentes ao 1º trimestre de 2009, posição que será reanalisada nos próximos trimestres, sempre respeitando o dividendo mínimo obrigatório previsto no estatuto das companhias.
 
Sobre a Gerdau
 
A Gerdau é líder na produção de aços longos nas Américas e uma das maiores fornecedoras de aços longos especiais no mundo. Possui presença industrial em 14 países, com operações nas Américas, na Europa e na Ásia, as quais somam uma capacidade instalada de mais de 20 milhões de toneladas de aço. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, por ano, cerca de 16 milhões de toneladas de sucata em aço. Com mais de 140 mil acionistas, as empresas de capital aberto da Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo (Bovespa: GGBR4, GGBR3, GOAU4, GOAU3 e AVIL3), Nova Iorque (Nyse: GNA, GGB), Toronto (GNA.TO), Madri (Latibex: XGGB) e Lima (BVL: SIDERC1).
 
 
Assessoria de Imprensa – (51) 3323-2170
imprensa@gerdau.com.br
www.gerdau.com
 
 
« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail