Receita líquida da Gerdau atinge R$ 10,8 bilhões no 2º trimestre

- Receita líquida evolui 3% frente ao mesmo período do ano anterior.

 - Geração de caixa operacional (EBITDA) mantém-se estável em relação ao segundo trimestre de 2014, apesar do cenário mundial de sobreoferta de aço e das adversidades econômicas no Brasil.

 - Um dos destaques da gestão é o projeto Gerdau 2022, uma iniciativa mundial em plena implantação que envolve a simplificação das operações e estruturas internas, a modernização da cultura empresarial e a reavaliação do potencial de rentabilidade dos ativos.

 

A Gerdau encerrou o segundo trimestre de 2015 com R$ 10,8 bilhões de receita líquida, uma expansão de 3% em relação ao mesmo período do ano anterior, principalmente pelo efeito cambial na conversão para reais dos dólares gerados por suas operações no exterior e exportações a partir do Brasil.

 

Entretanto, as vendas físicas, de 4,3 milhões de toneladas, apresentaram 6% de redução frente ao segundo trimestre de 2014 devido aos menores volumes comercializados pelas Operações de Aços Especiais (inclui usinas produtoras de aços especiais no Brasil, Espanha, Estados Unidos e Índia) e da América do Norte (inclui usinas produtoras de aços longos no Canadá e Estados Unidos). No mesmo período, a produção consolidada de aço foi 5% menor, de 4,4 milhões de toneladas.

 

A geração de caixa operacional (EBITDA) atingiu R$ 1,2 bilhão no segundo trimestre e manteve-se estável frente ao mesmo período do ano anterior, refletindo o melhor resultado da Operação da América do Norte e o esforço global de redução das despesas com vendas, gerais e administrativas da Empresa. O lucro líquido consolidado, por sua vez, foi de R$ 265 milhões, o que representa 33% de diminuição frente ao segundo trimestre de 2014, motivada pelo menor resultado operacional e pelas maiores despesas financeiras no período.

 

"A estratégia de diversificação geográfica da Gerdau permitiu, no segundo trimestre, que o menor desempenho no Brasil fosse parcialmente compensado pelos melhores resultados na América do Norte. Continuamos atuando em diversas frentes para preparar a Gerdau para os desafios atuais e futuros e enfrentar, com maior competitividade, o cenário mundial de sobreoferta de aço e a menor demanda no Brasil. Isso já pode ser observado pela maior austeridade refletida na redução de custos e despesas e seletividade no programa de investimentos (Capex). Também estamos em plena implantação do projeto Gerdau 2022, uma iniciativa mundial que envolve a simplificação das operações e estruturas internas, a modernização da cultura empresarial e a reavaliação do potencial de rentabilidade dos ativos, seguindo uma visão estratégica de longo prazo", afirma o diretor-presidente (CEO) da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter.

 

Ao longo do trimestre, os mercados atendidos pela Gerdau apresentaram comportamentos distintos. As vendas físicas para o mercado interno brasileiro (não inclui usinas produtoras de aços especiais), de 1,1 milhão de toneladas, tiveram 20% de queda em relação ao mesmo período do ano anterior, em razão do menor nível de atividade da construção civil e da indústria. No entanto, as exportações a partir do Brasil apresentaram aumento de 121%, atingindo 477 mil toneladas.

 

Nos demais países da América Latina (não inclui operações no Brasil), as vendas somaram 634 mil toneladas e mantiveram-se em linha com o 2º trimestre de 2014. Já as operações no Canadá e Estados Unidos (não inclui usinas de aços especiais) comercializaram 1,5 milhão de toneladas, 6% de redução em relação ao mesmo período do ano anterior. A queda das vendas no período se deve à comparabilidade com a base forte do 2º trimestre de 2014 (demanda represada do 1º trimestre de 2014 pelo inverno rigoroso na região) e à maior pressão de produtos importados na região.

 

Na operação de aços especiais (inclui usinas no Brasil, Estados Unidos, Espanha e Índia), foram vendidas 700 mil toneladas, uma queda de 7% frente ao segundo trimestre do ano anterior em razão da forte redução da demanda no mercado brasileiro e da curva de aprendizagem do novo laminador da usina de Monroe, no Michigan (EUA).

 

As vendas de minério de ferro, por sua vez, alcançaram 2 milhões de toneladas, um aumento de 13% frente ao mesmo período do ano anterior. Desse total, 1,4 milhão de toneladas foi direcionado para as usinas da Gerdau e 571 mil toneladas para o mercado.

 

Reestruturação das Operações de Negócio

 

Para obter maiores sinergias estratégicas e operacionais no atendimento aos mercados do Brasil, demais países da América do Sul e da América do Norte, a Gerdau está realizando a reestruturação de suas Operações de Negócio. Com isso, as unidades no México e as joint ventures na República Dominicana, na Guatemala e no México passam a integrar a Operação de Negócio América do Norte, atualmente composta pelas plantas produtoras de aços longos no Canadá e nos Estados Unidos.

 

Também será criada a Operação de Negócio América do Sul, integrada pelas unidades de aços longos na Argentina, no Chile, na Colômbia, no Peru, na Venezuela e no Uruguai. Em razão de estar voltada principalmente para atender a usina Ouro Branco (MG), a Operação de Minério de Ferro passará a integrar a Operação de Negócio Brasil, atualmente composta pelas unidades de aços longos e planos no Brasil e de carvão e coque metalúrgico na Colômbia. A Operação de Negócio Aços Especiais se mantém inalterada, integrando as plantas de aços especiais no Brasil, na Espanha, nos Estados Unidos e na Índia. Os resultados das operações, sob a nova configuração, serão reportados a partir do terceiro trimestre de 2015.

 

Investimentos da Gerdau somam R$ 648 milhões no segundo trimestre

 

No segundo trimestre, os investimentos em ativo imobilizado (Capex) chegaram a R$ 648 milhões. Nesse sentido, destacam-se a instalação do laminador de chapas grossas na usina Ouro Branco (MG), a continuidade da construção da aciaria na Argentina e a entrada em operação da coqueria e da planta de geração de energia na Índia. Para o segundo semestre, a previsão é que o ritmo de desembolsos em Capex seja menor frente ao primeiro semestre.

 

Pagamento de dividendos será realizado em 4 setembro

 

No dia 4 de setembro, as empresas de capital aberto Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. pagarão, respectivamente, juros sobre capital próprio e dividendos relativos ao segundo trimestre de 2015. Serão destinados R$ 84,3 milhões para os acionistas da Gerdau S.A. (R$ 0,05 por ação) e R$ 8,1 milhões para os da Metalúrgica Gerdau S.A. (R$ 0,02 por ação).

 

Sobre a Gerdau

 

A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que estão ampliando o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. A Gerdau possui plantas industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia –, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas de aço por ano. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.​

« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail