Gerdau bate recorde de vendas em 2011

Press Release

- Vendas físicas consolidadas chegam a 4,7 milhões de toneladas no quarto trimestre e, no ano, batem recorde histórico, atingindo 19,2 milhões de toneladas.
 
- Receita líquida evolui 16% no quarto trimestre, para R$ 9,1 bilhões e, no ano, totaliza R$ 35,4 bilhões.
 
- Produção de aço consolidada cresce 8% no último trimestre do ano e atinge 4,7 milhões de toneladas. Em doze meses, alcança 19,6 milhões de toneladas.
 
- Programa de investimentos para o período 2012-2016 será de R$ 10,3 bilhões.
 
A Gerdau encerrou o ano de 2011 com recorde histórico de vendas físicas consolidadas, de 19,2 milhões de toneladas, impulsionado pela maior demanda por aços longos no continente americano, com destaque para os mercados da construção civil e indústria. O volume de vendas alcançado no exercício representa 10% de crescimento sobre o desempenho comercial do ano anterior. No quarto trimestre, as vendas físicas consolidadas atingiram 4,7 milhões de toneladas, uma expansão de 4% sobre os últimos três meses de 2010.
 
Com o aumento de vendas físicas, a receita líquida consolidada evoluiu 16% no quarto trimestre perante o mesmo período do ano anterior, chegando a R$ 9,1 bilhões e, em 2011, alcançou R$ 35,4 bilhões. No quarto trimestre, a produção consolidada de aço atingiu 4,7 milhões de toneladas, um acréscimo de 8% em comparação com os últimos três meses de 2010. Ao longo do ano, a produção de aço consolidada cresceu para 19,6 milhões de toneladas.
 
De outubro a dezembro, a geração de caixa operacional (EBITDA) consolidada passou de R$ 815 milhões no quarto trimestre de 2010 para R$ 1 bilhão, influenciada pela expansão da receita líquida, enquanto que, no ano, alcançou R$ 4,7 bilhões. No quarto trimestre, o lucro líquido atingiu R$ 472 milhões, apresentando 12% de crescimento perante os três últimos meses de 2010, ao passo que o resultado, no exercício, foi de R$ 2,1 bilhões.
 
“Fechamos o ano de 2011 com um bom desempenho operacional e financeiro, em que se destacam o recorde histórico de vendas físicas, a adequada gestão de despesas e os patamares confortáveis de endividamento, mesmo frente às adversidades decorrentes da desaceleração da economia global e da crise européia. Portanto, no ano em que completamos 110 anos de história, consolidamos uma gestão profundamente comprometida com a sustentabilidade econômica, social e ambiental de nossos negócios. Nosso desafio para 2012 é a contínua melhoria dos resultados financeiros e, para isso, seguiremos investindo cada vez mais para manter a preferência de nossos clientes, além de buscar a redução dos custos especialmente das matérias-primas em nossos negócios”, afirma o diretor-presidente (CEO) da Gerdau, André B. Gerdau Johannpeter.
 
Em relação às regiões atendidas pela Gerdau, destacaram-se os mercados do Brasil, América do Norte e demais países da América Latina. No quarto trimestre de 2011, o mercado interno brasileiro (não inclui as usinas produtoras de aços especiais) demandou 1,2 milhão de toneladas de aço Gerdau, o que representa uma evolução de 15% em comparação com o mesmo período do ano anterior. No período analisado, as exportações a partir do País, de 551 mil toneladas, foram reduzidas em 25% para atender a maior demanda interna. No acumulado do ano, foram destinados 5,1 milhões de toneladas para o mercado interno e 2 milhões de toneladas para exportações.
 
No quarto trimestre, as unidades no Canadá e nos Estados Unidos contabilizaram 10% de aumento nas vendas físicas, somando 1,6 milhão de toneladas. No ano, 6,5 milhões de toneladas foram vendidos nessa região. Já as operações nos demais países da América Latina (exceto Brasil) totalizaram 649 mil toneladas comercializadas no quarto trimestre, volume 15% superior frente ao mesmo período do ano de 2010. Em 12 meses, foram comercializados 2,6 milhões de toneladas nos demais países da América Latina.
 
As vendas realizadas no quarto trimestre pela Operação de Negócio de Aços Especiais (incluindo usinas no Brasil, Estados Unidos e Espanha), de 686 mil toneladas, mantiveram-se praticamente estáveis perante o quarto trimestre de 2010, em virtude dos elevados patamares já alcançados principalmente nos Estados Unidos. No exercício de 2011, as vendas de aços especiais atingiram 2,9 milhões de toneladas.
 
Gerdau investe R$ 674 milhões no quarto trimestre
No quarto trimestre, os investimentos em ativo imobilizado (CAPEX) somaram R$ 674 milhões e, no ano, alcançaram R$ 2 bilhões. Para os próximos cinco anos (2012-2016), estão programados investimentos de R$ 10,3 bilhões, sendo que aproximadamente 70% serão destinados para as operações no Brasil e 30% para as unidades nos demais países. Nesse sentido, destacam-se o ingresso na produção de aços planos no Brasil, a expansão da capacidade instalada de aços especiais no Brasil e nos Estados Unidos, assim como a ampliação da produção de laminados na usina Cosigua (RJ) e o início da operação do laminador e da sinterização na Índia.
 
Em relação à produção própria de minério de ferro, a Empresa segue com a meta de alcançar a autossuficiência da Gerdau Açominas, principal unidade consumidora dessa matéria-prima. Ademais, seguem em andamento os estudos para a exploração comercial dos excedentes de minério de ferro localizados em Minas Gerais.
 
No Brasil, a Companhia iniciará a produção de aços planos no final de 2012, com o novo laminador de bobinas a quente na Gerdau Açominas (MG), cuja capacidade instalada será de 770 mil toneladas por ano. As bobinas são utilizadas principalmente na indústria da construção civil (construção metálica), petrolífera, naval e de máquinas e implementos.
 
Para atender o mercado da construção civil no Brasil, a Gerdau ampliou a capacidade instalada do laminador de perfis estruturais em 2011, também localizado na Gerdau Açominas, de 520 mil toneladas para 700 mil toneladas por ano. Diante da perspectiva de continuidade da expansão da demanda, a Companhia já iniciou estudos para ampliar para 1 milhão de toneladas a capacidade de produção anual de perfis estruturais, os quais são utilizados na construção civil, na indústria petrolífera e de máquinas e equipamentos.
 
Na Índia, a Gerdau dará início, em 2012, à operação do laminador de aços especiais e vergalhões, com capacidade instalada de 300 mil toneladas, e sinterização, além de dar continuidade à instalação de uma coqueria e realizar projetos na área de geração de energia.
 
Nos Estados Unidos, a capacidade instalada anual da usina Midlothian (Texas), principal unidade da Gerdau na América do Norte, evoluirá para 1,8 milhão de toneladas de aço. Na mesma unidade também será ampliada a capacidade instalada de vergalhões, a qual evoluirá para 550 mil toneladas por ano. Ambas as iniciativas entrarão em operação no ano de 2014. Ademais, será inaugurado um novo forno de reaquecimento na usina Calvert City (Kentucky) no final de 2012.
 
Na Guatemala, está programada a entrada em operação de uma nova trefilaria e de um laminador de vergalhões e perfis comerciais leves, reforçando a capacidade de atendimento do mercado interno e dos países vizinhos. O novo laminador terá capacidade instalada anual de 200 mil toneladas.
 
Na Colômbia, recentemente foi anunciada a retomada da operação da usina localizada em Yumbo, no Vale do Cauca, voltada para atender a construção civil. Além disso, estão programados investimentos para aumentar a capacidade dos laminadores das plantas de Tocancipá e Tuta em 2012, agregando mais 80 mil toneladas de capacidade instalada anual. Ademais, está programada a inauguração, em 2012, de um terminal portuário no país para embarque de carvão e coque, importantes matérias-primas para produção de aço. O porto atenderá principalmente os mercados do Brasil, do México e dos Estados Unidos.
 
Gerdau é reconhecida com investment grade pelas principais agências de avaliação de riscos
 
Em 2011, as agências Standard & Poor’s e Fitch Ratings mantiveram o grau de investimento da Gerdau no nível BBB-. Além disso, a agência de avaliação de riscos Moody's atribuiu à Empresa o grau de investimento Baa3, com perspectiva estável. Com isso, a Gerdau passou a ser investment grade pelas três agências de avaliação de riscos mais conhecidas do mercado de capitais, o que demonstra a confiança do mercado na gestão da Companhia.
 
Pagamento de dividendos ocorrerá no dia 8 de março
 
O pagamento de dividendos relativos aos resultados do quarto trimestre para os acionistas das empresas de capital aberto Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. ocorrerá no dia 8 de março. Serão pagos R$ 136,4 milhões para os detentores de ações da Gerdau S.A. (R$ 0,08 por ação) e R$ 44,7 milhões para os da Metalúrgica Gerdau S.A. (R$ 0,11 por ação). Ao longo do ano, a remuneração para os acionistas da Gerdau S.A. chegou a R$ 597 milhões (0,35 por ação) e da Metalúrgica Gerdau S.A., R$ 224 milhões (0,55 por ação).
 
Sobre a Gerdau
A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços longos especiais do mundo. Com mais de 45 mil colaboradores, possui operações industriais em 14 países – nas Américas, na Europa e na Ásia –, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas por ano. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço. Com mais de 140 mil acionistas, a Gerdau está listada nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.
 
X
Porto Alegre, 16 de fevereiro de 2012.
Assessoria de imprensa – 51 3323-2170
imprensa@gerdau.com.br
www.gerdau.com.br

 
 
 
« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail