Competência, desempenho e inovação caracterizam vencedores do Prêmio Gerdau Melhores da Terra 2010

Os nove vencedores são dos estados do RS, SC, SP, PR, CE e MG. Neste ano, a Comissão Julgadora, formada por 9 especialistas, percorreu 47 mil quilômetros e entrevistou 329 produtores rurais para definir os vencedores da categoria Destaque

A 28ª edição do Prêmio Gerdau Melhores da Terra, maior premiação da América do Sul para o setor de máquinas e equipamentos agrícolas, tem nove vencedores: seis máquinas e equipamentos, dois trabalhos científicos e uma invenção. Os vencedores são dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Paraná, Ceará e Minas Gerais. Os troféus serão entregues no dia 1º de setembro, às 11h30, na Gerdau Riograndense, localizada em Sapucaia do Sul (Av. Borges de Medeiros, 650).

Em 2010, o Prêmio registrou 515 inscritos em suas três categorias: Destaque (33), Novidade (48) e Pesquisa & Desenvolvimento (434). Para avaliar os inscritos na categoria Destaque, a Comissão Julgadora percorreu quase 47 mil quilômetros no Brasil, Argentina e Chile e entrevistou 329 usuários dos equipamentos. Nesse ano, os membros ultrapassaram a barreira dos 700 mil quilômetros percorridos desde 1983, primeiro ano do Prêmio. Desde a primeira edição, já são 2,8 mil inscritos, 212 premiados e 6 mil usuários entrevistados.

“Em sua 28º edição, o Prêmio Gerdau Melhores da Terra renova sua vocação em reconhecer o que há de melhor no setor de máquinas e equipamentos agrícolas, como forma de incentivar o uso da tecnologia e o aumento da produtividade do campo”, afirma Claudio Gerdau Johannpeter, Diretor-Geral de Operações da Gerdau (COO) e Coordenador-Geral do Prêmio. “O momento, de franca expansão das vendas de máquinas e implementos agrícolas, é propício para mais investimentos em soluções que aliem desempenho e inovação a serviço do agronegócio brasileiro.”

Para o Coordenador da Comissão Julgadora do Prêmio, Luiz Fernando Coelho de Souza, professor da UFRGS, a expansão do agronegócio brasileiro exige cada vez mais agilidade e competência dos produtores rurais, por meio de soluções que permitam elevar a produtividade com qualidade. “As máquinas de hoje precisam oferecer ao agricultor meios de atender à demanda crescente de maneira eficiente, sem descuidar de itens como conforto e segurança dos operadores”, diz ele. “Esses são itens que a Comissão Julgadora avalia nos equipamentos e trabalhos acadêmicos inscritos no Prêmio.”

Os membros da Comissão visitaram pessoalmente diversas propriedades onde as máquinas e equipamentos inscritos são utilizados, para verificar seu desempenho in loco e obter a opinião dos usuários. A partir dessas entrevistas foram elaborados relatórios analíticos sobre todos os inscritos na categoria Destaque, vencedores ou não, com uma avaliação completa sobre cada produto. Os relatórios serão entregues aos fabricantes, constituindo uma consultoria gratuita para as empresas.

Na categoria Novidade, foram duas etapas de avaliação, nas quais foram avaliados os equipamentos expostos na Agrishow, realizada em Ribeirão Preto (SP) no mês de abril, ou na própria Expointer, antes da abertura da feira.

Os Vencedores

Categoria Destaque

Premiados conferem maior capacidade de atendimento à crescente demanda pelo produtor rural

O Troféu Ouro na categoria Destaque foi para a Máquina de Desinfecção e Secagem de Ovos Férteis, da Fornari (SC), aplicada na produção de pintos e que evita perdas causadas pela contaminação por microorganismos. O equipamento inova em diversos aspectos, principalmente em relação à sustentabilidade: utiliza cloro ao invés de formol, por exemplo, o que diminui a agressividade ao meio ambiente, e exige uma baixa quantidade de água para seu funcionamento. É de fácil utilização e apresenta grande rapidez de processamento, podendo desinfetar cerca de 20 mil ovos por hora. Essa capacidade é importante dado o crescente mercado de frangos no Brasil – o país já produz cerca de 6 bilhões de frangos por ano, o equivalente a 12 milhões de toneladas, das quais cerca de 4 milhões são exportadas.

Após ser premiada na categoria Novidade em 2008, ano de seu lançamento, agora a Máquina de Limpeza SCS 170, da Kepler Weber (RS), recebe um Troféu Prata na categoria Destaque. O equipamento é utilizado para limpeza de grãos, para posterior secagem, armazenagem e processamento, e apresenta uma capacidade de até 170 toneladas por hora. A importância da máquina cresce à medida que a safra brasileira bate recordes de produção. Em 2010, o número chegou a quase 150 milhões de toneladas, o que exige cada vez mais produtos de qualidade e rapidez de processamento. A Comissão Julgadora colheu opiniões favoráveis de usuários no Brasil e no Chile.

O outro Troféu Prata da categoria foi concedido ao Sistema Automático de Identificação e Telemetria (SAIT), da Aeroeletrônica (RS), equipamento que permite a automação da coleta de dados de sistemas mecanizados e pode ser aplicado tanto no setor agrícola quanto em outros segmentos. A Comissão Julgadora avaliou sua utilização em usinas de açúcar e álcool, que já utilizam o equipamento em larga escala para a o controle da colheita e transporte de cana. O sistema fornece informações como produtividade por operador e por máquina, veículo transportador de cada lote e origem do produto, dados antes gerenciados manualmente, o que acarretava um grande número de erros. O crescimento da produção agrícola no país exige a automação da coleta de dados para a correta gestão do sistema.

Categoria Novidade

Carreta Adubadora leva o Troféu Ouro

A Jacto (SP) ganhou o Troféu Ouro na categoria, com a Carreta Adubadora FC 2000 NPK. Hoje, a máquina é aplicada na cultura de café, mas será configurada pelo fabricante para fruticultura. O equipamento se sobressai pela concepção inovadora: ele utiliza um fluxo de ar para o transporte e deposição do fertilizante, ao invés de um sistema mecânico, e apresenta grande precisão para aplicar o produto no local correto, na base da planta. Além disso, a quantidade é determinada por um sistema de taxa variável, de acordo com a necessidade de cada local da lavoura.

O trator MF7350 Dyna-6, da AGCO (RS), recebeu um Troféu Prata. É o primeiro trator com transmissão totalmente automática fabricado no Brasil, que dispensa a utilização de embreagem nas suas 24 marchas. O veículo também permite programar uma faixa de velocidade para obter o máximo de rendimento. Além disso, o lançamento apresenta conceitos ergonômicos e de segurança na cabine, comandos facilitados e maior autonomia de combustível. O conjunto resulta em mais conforto e facilidade para o operador, aumentando a produtividade.

A categoria também conta com um Troféu Prata para a colheitadeira CR9060, da New Holland (PR), uma máquina de concepção avançada, design moderno e compacta. É a primeira produzida no Brasil com o conceito de dois rotores para trilha e separação de grãos em geral, o que permite uma ampliação da capacidade de colheita. Esse sistema também reduz a taxa de quebra de grãos, resultando em mais qualidade do produto final.

Categoria Pesquisa & Desenvolvimento

Irrigação e fertilização são focos de trabalhos acadêmicos

Na divisão Estudante, o trabalho premiado foi “Estratégia de monitoramento em sistemas de irrigação utilizando redes de sensores sem fio”, conduzido na Universidade Federal do Ceará. O primeiro autor é Tadeu Macryne Lima Cruz, doutorando em Engenharia Agrícola. O estudo apresenta um sistema sem fio, no qual diversos sensores são distribuídos em uma área determinada e enviam informações sobre a umidade do solo a um computador central, que analisa a necessidade de irrigação em cada ponto específico. O número de sensores é ilimitado, permitindo a cobertura de grandes áreas.

Entre os profissionais, o trabalho premiado é “Dispositivo para aplicação de produtos fitossanitários em cafeeiros mecanizados”. O autor principal é o Prof. João Paulo A. R. da Cunha, da Universidade Federal de Uberlândia (MG). O autor desenvolveu um equipamento para a aplicação de defensivos em lavouras de café de forma mais eficiente, a partir da base da planta, pulverizando o produto de baixo para cima. Isso permite que os defensivos atinjam uniformemente a folhagem no interior da planta, diminuindo a perda de produto e aumentando a ação contra as pragas. A avaliação de campo do trabalho demonstra que o objetivo foi efetivamente atingido, o que indica que essa é uma solução possível de ser adotada pelos fabricantes de equipamentos.

No nível Inventor, o premiado foi João de Deus Carmo Lamas, de São Borja (RS), criador do Dispositivo para direcionamento coordenado de rodados. Lamas implantou pistões hidráulicos nas rodas de um reboque, o que permite o alinhamento da estrutura com as rodas do trator. Isso confere maior mobilidade nos percursos na lavoura, além de permitir uma melhor qualidade de manobra em espaços reduzidos e provocar menos compactação no solo. Lamas já desenvolveu também diversas outras soluções para a atividade agrícola e, hoje, mantém uma revenda de máquinas.

São parceiros do Prêmio Gerdau Melhores da Terra a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária, Pesca e Agronegócio do Rio Grande do Sul, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Estado do Paraná, o Instituto Nacional de Investigación Agropecuaria do Chile (INIA), o Instituto Nacional de Tecnología Agropecuaria da Argentina (INTA), a Associação Brasileira de Engenharia Agrícola (SBEA) e as feiras Expointer (RS) e Agrishow (SP).

Sobre a Gerdau

A Gerdau é líder na produção de aços longos nas Américas e uma das maiores fornecedoras de aços longos especiais no mundo. Possui presença industrial em 14 países, com operações nas Américas, na Europa e na Ásia, as quais somam uma capacidade instalada superior a 25 milhões de toneladas de aço. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço. Com mais de 140 mil acionistas, as empresas de capital aberto da Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo (Bovespa: GGBR4, GGBR3, GOAU4, GOAU3 e AVIL3), Nova Iorque (Nyse: GNA, GGB), Toronto (GNA: TO), Madri (Latibex: XGGB) e Lima (BVL: SIDERC1).

 
 
« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail