Prêmio Gerdau Melhores da Terra tem 10 vencedores em sua 33ª edição

O Prêmio Gerdau Melhores da Terra, maior premiação da América do Sul para o setor de máquinas e equipamentos agrícolas, anuncia os vencedores da sua 33ª edição. As empresas serão reconhecidas no dia 31 de agosto, na usina Riograndense, localizada em Sapucaia do Sul (Av. Borges de Medeiros, 650). A premiação busca incentivar o desenvolvimento sustentável, a inovação e a excelência do agronegócio, além de oferecer ao mercado a oportunidade de conhecer o que existe de melhor em máquinas, equipamentos e componentes de uso agrícola fabricados no Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile. Em abril, durante a Agrishow, outros dois fabricantes também foram reconhecidos pela Gerdau.


"O Prêmio Gerdau Melhores da Terra reconhece o que há de melhor no setor de máquinas e equipamentos agrícolas, incentivando a inovação, a excelência e a produtividade no campo", afirma o Vice-Presidente Executivo da Gerdau, Guilherme Gerdau Johannpeter. De acordo com o coordenador da Comissão Julgadora e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Renato Levien, o investimento em agricultura de precisão foi o grande destaque desta edição. "Essa iniciativa contribui para a melhoria das condições de trabalho e na qualidade da operação no campo. O Brasil, atualmente, está entre as nações com melhores tecnologias, o que pôde ser percebido pela qualidade dos produtos de fabricantes brasileiros inscritos no prêmio", garante.


Confira os vencedores:

Categoria Destaque

Dividida em Agricultura Familiar e Agricultura de Escala, a categoria Destaque reconhece o desempenho de máquinas e equipamentos com, no mínimo, dois anos de existência no mercado e em uso no campo, avaliados in loco pela Comissão Julgadora. Trata-se de uma vitrine para o mercado do que existe de melhor em máquinas, equipamentos e componentes de uso agrícola. Além disso, a participação nessa divisão do prêmio proporciona às empresas inscritas a oportunidade de aprimorar produtos e serviços a partir das avaliações técnicas realizadas pela Comissão Julgadora, composta por especialistas em ciências agrárias das principais instituições do Brasil e da Argentina.

 
Nessa edição, para realizar as avaliações, a Comissão Julgadora percorreu mais de 44 mil quilômetros no Brasil, Uruguai e na Argentina, entrevistando 247 usuários dos equipamentos, em 185 municípios. Desde a primeira edição do prêmio, já foram percorridos mais de 900 mil quilômetros e entrevistados 7.578 mil usuários.

 
Na divisão Agricultura de Escala, dois equipamentos foram premiados. O Troféu Ouro ficou com a Extratora de Grãos Outgrain 215, fabricada pela Marcher Brasil Agroindustrial S/A, de Gravataí (RS). O equipamento foi desenvolvido para a retirada de grãos armazenados em silos-bolsa, transferindo-os para caminhões. É importante para atender ao desequilíbrio entre a capacidade de armazenamento e o aumento da produção de grãos, que constitui um gargalo da agricultura atual, com produção maior a cada ano. O sistema completo é constituído de silos-bolsas, embolsadora e extratora de grãos. O equipamento tem como destaque a simplicidade construtiva, a praticidade e a rapidez da operação, a robustez, o baixo custo operacional, a facilidade de transporte e o elevado grau de satisfação dos usuários entrevistados. A máquina auxilia na logística de armazenamento de grãos nas propriedades, bem como cooperativas e cerealistas. O produtor pode estocar sua produção com qualidade e escolher o momento mais favorável para a comercialização.

 
O Troféu Prata da divisão Agricultura de Escala da categoria Destaque foi concedido ao Ninho Coletivo de Produção de Ovos Férteis modelo MB, da empresa Big Dutchman Brasil Ltda, de Araraquara (SP). O produto otimiza a produção de ovos férteis em escala para atender à demanda da cadeia produtiva da avicultura, atividade na qual o Brasil se destaca como o maior exportador mundial de carne de frango. O ninho coletivo proporciona ambiente adequado para a postura das aves e automatiza o processo da coleta dos ovos. O mérito do produto consiste em melhorar as condições de trabalho aos usuários, especialmente nos quesitos ergonomia, demanda de tempo, exposição à contaminação e redução do esforço físico na coleta e carregamento dos ovos. Comparativamente aos ninhos tradicionais, o equipamento proporciona menor contaminação, necessidade de lavagem e tratamento com produtos químicos dos ovos férteis. Com isso, aumenta o percentual de eclosão dos ovos, melhorando sua qualidade e a rentabilidade do produtor.


A divisão Agricultura Familiar também conta com dois vencedores. O Troféu Ouro foi concedido ao Vagão Forrageiro Misturador Hidráulico VFMH 1.5, fabricado pela Ipacol Máquinas Agrícolas Ltda, de Veranópolis (RS). A máquina atende a um segmento de mercado de agricultores que trabalham com pecuária leiteira e pequenos confinamentos de bovinos para carne, atividades características da agricultura familiar no Brasil. Seus principais atributos são a facilidade e a rapidez na retirada da silagem dos silos, a mistura homogênea com a ração e a facilidade na distribuição da mistura nos cochos de alimentação. Além disso, a máquina é robusta, segura, de fácil operação e manobrabilidade, além de exigir pouca manutenção e contar com assistência técnica qualificada. É acoplada ao sistema hidráulico de três pontos de tratores de baixa potência, geralmente disponíveis nas propriedades que trabalham com agricultura e pecuária familiar. A máquina contribui para reduzir o esforço físico na alimentação diária dos animais e, consequentemente, aumentar a produção e a qualidade do leite e da carne produzidos nas propriedades de agricultura familiar no Brasil.


O vencedor do Troféu Prata da divisão Agricultura Familiar foi o Mixer M85 Vertical, da empresa Mary SRL, de Soriano, localizada no Uruguai. A máquina atende produtores com pequenas e médias propriedades familiares ligadas principalmente à produção de leite, de bovinos de corte e ovinos. A máquina tem a função de desintegrar alimentos fibrosos na forma de feno e proceder a mistura com outras rações, água e sais minerais. Conta com balança para que os ingredientes da dieta possam ser adicionados nas quantidades recomendadas para cada categoria animal. O mixer tem funcionamento simples, com baixa exigência de potência, é robusto e permite a utilização racional de alimentos enfardados, facilitando o trato dos animais e garantindo maior produtividade de carne e leite.

 

Categoria Novidade Expointer  

Na categoria Novidade Expointer, que reconhece os produtos lançados há menos de um ano e presentes nesta edição da feira, os equipamentos também são avaliados nas divisões Agricultura de Escala e Agricultura Familiar. Dessa forma, o prêmio busca valorizar as características específicas dos produtos para ambos os segmentos, considerando seus distintos patamares de escala de produção. Para definir os vencedores, a Comissão Julgadora percorreu a feira durante três dias, antes da abertura oficial, avaliando detalhadamente as máquinas e equipamentos inscritos e entrevistando seus representantes e fabricantes.


O equipamento vencedor na divisão Agricultura de Escala foi o Imperador 3.0, fabricado pela empresa Stara S/A Indústria de Máquinas Agrícolas, de Não-Me-Toque (RS). Trata-se de um equipamento autopropelido (com movimentos próprios), multifuncional (2 em 1) composto por pulverizador e por distribuidor de insumos sólidos a lanço, destinados ao cultivo de médias a grandes áreas. É a única máquina de fabricação nacional com essas funcionalidades reunidas na mesma unidade e que pode atender às necessidades da técnica da agricultura de precisão, com rápida conversão de uma funcionalidade para a outra. Entre as vantagens do uso do equipamento, destacam-se o vão livre (permite trabalhar em culturas altas), a mesma largura de trabalho para a pulverização e distribuição de insumos sólidos (tráfego controlado, no mesmo rastro), recursos de eletrônica embarcada da própria empresa e especialmente a possibilidade de realizar diferentes tratos culturais com a mesma unidade de potência, em momentos distintos. Isso contribui para a redução de custos devido ao menor capital imobilizado, maior otimização do seu uso e sustentabilidade da produção.


O Troféu Agricultura Familiar foi para o Trator Agrale 4233, fabricado pela Agrale S.A., de Caxias do Sul (RS). Trata-se do primeiro trator nacional com rodado isodiamétrico (todos os rodados com mesmo diâmetro) dentro da sua faixa de potência. Suas dimensões são especialmente compatíveis para trabalhos na fruticultura, na horticultura e na cafeicultura. Apresenta um baixo consumo de combustível e sistema hidráulico com capacidade de carga adequada para um trator da sua categoria. A tração permanente nas quatro rodas, o baixo centro de gravidade e a articulação, que mantém os rodados em contato com o solo ao transpor obstáculos ou irregularidades do terreno, são fatores que auxiliam na sua dirigibilidade em espaços restritos, como manobras para acesso às entrelinhas em fruticultura. Também oferecem mais segurança nas operações em terrenos íngremes, típicos das propriedades de agricultura familiar no Brasil.

 

Categoria Pesquisa e Desenvolvimento

A categoria Pesquisa & Desenvolvimento é voltada para estudantes acadêmicos e profissionais de ciências agrárias, ligados ou não a instituições de ensino, com trabalhos que contribuem para o avanço da agricultura, a produtividade, a qualidade de vida das populações rurais e a preservação do meio ambiente.

 
Na divisão Pesquisador, o trabalho reconhecido foi Desenvolvimento de um sistema de aquisição de dados de baixo custo para avaliação de desempenho de tratores agrícolas, que tem como autora principal a engenheira agrícola e ambiental, Jardênia Rodrigues Feitosa, da Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF, Juazeiro (BA), em cooperação com pesquisadores de mesma instituição. O trabalho selecionado tem como objetivo construir um sistema móvel de baixo custo para avaliar importantes parâmetros operacionais de máquinas agrícolas, como patinagem, rotações e consumo de combustível. Possui potencial para subsidiar tomadas de decisão para otimização do gerenciamento de desempenho não somente de tratores, como também colheitadeiras. Sistemas similares, de baixo custo, já deveriam estar incorporados pela indústria a todas as máquinas agrícolas, para obtenção de sua máxima capacidade de trabalho, menor consumo de combustível e maior durabilidade, implicando em menor custo operacional.


Já na divisão Estudante, a Comissão Julgadora selecionou como vencedor o projeto Protótipo de um sistema mecanizado para coleta de dados de perdas e distribuição de palhada na colheita mecanizada de soja, cujo autor principal é o graduando em Engenharia Agrícola e Ambiental, Bruno Lima da Mota, da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Sinop (MT). O trabalho selecionado contempla um sistema de avaliação da perda de grãos e da distribuição da palha durante a colheita da soja, com uso de coletores, que são dispostos na área por controle remoto a critério do operador. Com essas informações pode-se tomar decisões mais rápidas e fáceis em relação a regulagens necessárias nas colhedoras para a redução da perda de grãos e a uniformidade de distribuição da palha. Esses dois parâmetros são especialmente importantes no sistema plantio direto, no qual os grãos perdidos, além de representar uma perda financeira, podem se constituir em plantas invasoras para o próximo cultivo. Uma distribuição não uniforme da palhada sobre o solo pode interferir na qualidade da próxima semeadura, na emergência de plantas daninhas e na criação de zonas diferenciadas de nutrientes.   


Sobre a Gerdau

A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que ampliam o mix de produtos oferecidos ao mercado e a competitividade das operações. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço, reforçando seu compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atua. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.

« Back
De
Nome
Para
Nome
E-mail